Doctor holding stethoscope (with shallow depth of field)
Doctor holding stethoscope (with shallow depth of field)

Logo que assumiu o cargo de ministro da Saúde do governo interino, Ricardo Barros, que é financiado por planos de saúde, atacou o Sistema Único de Saúde e demonstrou seu interesse no desmonte da saúde pública. O SUS é um dos programas mais completos do mundo em atendimento à população e é tão importante que hoje é inimaginável que o Brasil deixe de ter acesso universal à saúde. Do atendimento em hospitais, unidades básicas de saúde, saúde da família até o Samu, a Farmácia Popular, as campanhas de vacinação e muito mais, o SUS é patrimônio dos brasileiros e referência para países e organismos internacionais, como a ONU, que já reconheceu que o SUS lançou os alicerces de um sistema de saúde melhor para o país. A privatização do sistema de saúde interessa aos conglomerados multinacionais que negligenciam o atendimento à população mais pobre e oferecem excelência só para quem pode pagar.

Com a proposta de teto de gastos já encaminhada por Temer, a saúde e a educação vão ter muito menos recursos por até 20 anos.

O ministro ainda condicionou os investimentos no SUS à reforma da Previdência. Ou seja, ou tira seu direito por um lado ou pelo outro.

Notícias:

Tamanho do SUS precisa ser revisto, diz novo ministro da Saúde

UPAs, Farmácia Popular e Samu têm recursos só até agosto